quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Argentina - dia 2


Atravessamos a fronteira com a Argentina por Foz do Iguaçu, no segundo dia de viagem, após dormirmos em Londrina.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

parque nacional da serra da canastra - MG


Estive no Parque Nacional da Serra da Canastra - MG esse final de semana, uma pena não ter tido tempo para passear com calma pelo lugar... É incrível a quantidade de aves de rapina da região. Entre os rapinantes, vi o gavião carcará (retrato a esquerda), casaca de couro, quirí-quirí, gavião de coleira, gavião de cauda branca, coruja buraqueira, gavião peneira além de outros que não consegui identificar. Entre as aves, vi também pares de jandáia, siriemas, frangos d'água, uma infinidade de passariformes... cocô de lobo guará e toca de tatu canastra "a rodo"...

Acompanhei um pouco do trabalho do povo da Pró Carnívoros - Projeto Lobos da Canastra. O amigo Ricardo "braço curto" (do video das baleias - Abrolhos) é veterinário e trabalha com monitoramento dos lobos guarás na região, nas vezes que ligou o equipamento só pudemos captar os sinais do colar do lobo empalhado que fica na Base da Pró Carnívoros em São Roque de Minas. Fui também em uma seção do cine-lobo (dei umas boas risadas assistindo os trapalhões), que rolou em uma fazenda ao redor da área do parque, com uma praia de rio linda bem pertinho, vista para o morro do parque, onde cachoeiras não faltam pra divertir e refrescar a galera! A estrada só estava um pouco empoeirada... rs ...mas a noite era de lua cheia, e não é todo dia que podemos fazer um passeio desses!

Visitei a nascente do rio São Francisco, fiz questão de não tirar retratos pra deixar pra próxima! Passei por algumas cachoeiras, entre elas a primeira grande queda do "chico river" (pela altura do mirante, a direita da queda, dá pra se ter uma idéia da altura da cachoeira), tem uma placa pelo caminho dizendo para tomar cuidado com os 300 m de altura do paredão... não convém desprezá-la.

Por conta da imensa falta de tempo não rolou a caminhada de 1 h e 1/2 de caminhada até a parte baixa... por sinal faltou tempo para tudo!!! ...mas dá deu para ter idéia do tanto de coisas que tem pra fazer por ali...

Nossa primeira parada dentro da área do parque foi no curral de pedra, espaço preservado das antigas fazendas que foram desapropriadas para criação do parque. A paisagem e vegetação parece que não muda por um bom tempo, a medida que rodávamos pelas estradas que cortam o parque. bem perto do curral de pedras tem um mirante de monitoramento de focos de incêndio, onde em determinadas épocas permanecem 2 homens da brigada de incêndio, que se propaga facilmente com o o vento e todo essa vegetação ceca.

Os lobos, raposas, achorros-do-mato, tamanduás, emas... se camuflam muito bem nesse ambiente, e com o mato alto, é muito difícil vê-los, porém frequentemente dão as caras!

A geologia local é fantástica! Em alguns pontos das cachoeiras existem foços que não dá pra ver o fundo... outros que formam túneis e alguns menores, onde por diversas vezes encontraram diamantes.

Por conta de sua densidade, por mais que a água remexa o fundo e as rochas... o diamante vai se ajeitando no fundo desses foços, sendo cobertos por outras rochas que íam e vinham... e acreditem, ainda existem mineradoras (inclusive de diamantes) ao redor do parque. A seguir tem outros retratos que espero que gostem e ajudem a despertar a curiosidade de todos para visitar o lugar.

O turismo não é tão estruturado, porém existem ótimas pousadas e não são caras, não se tem muitas opções de restaurantes ou operadoras de turismo, mas São Roque de Minas possui uma infinidade de possibilidades de esportes radicais para serem praticados, e garanto, compensa a viagem!

I was in National Park Serra da Canastra - MG end of this week, a penalty had not had time to walk calmly to the place ... It is incredible the amount of birds of prey that the region. It is incredible the amount of birds of prey that the region.

I followed a bit of work of the institution Pró Carnivoros - Bill Lobos da Canastra. The friend Ricardo (the video of whales - Abrolhos) is working with veterinary and monitoring of wolves guarás in the region, the times that linked the equipment we only managed to capture the signals from the paste is the basis of Pró Carnivoros in São Roque de Minas city. I was also in a section of the cine-wolf (gave some good laughs watching "os trapalhões"), which happened on a farm around the area of the park, with a very beautiful beach of river near the house, overlooks the Mount of park where waterfalls abound get fun and refresh the people! The road was only a little dusty... but the night was full moon, and it is not every day that can make such a trip!

I visited the source of the San Francisco, I spent a few waterfalls, including the first major fall of the "chico river". On the way has plaques saying the way to take care of the 300 m in height of the wall ... should not despise it.

The wolves, foxes, dogs-the-bush and other animals are hiding very well in that environment, and with the high weeds, it is very difficult to see them, but often appear!

pessoa de cor

video

Uma boa reflexão para saber quem é "de cor", ou o colorido da situação!

Good to reflect and find out who is the colored of situation!

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

quadriciclo em socorro - SP

Estive em Socorro - SP para fazer um trabalho e gostei muito do lugar, de como o turismo é bem estruturado, atrativos e atividades desenvolvidas por lá.
Fiz um passeio de quadriciclo alucinante com o pessoal da Base55 (http://www.base55.com.br/), passamos por lugares lindos, topo de morros, meio de eucaliptos, cafesais... o brinquedo está mais que aprovado! Passamos por terrenos que exigiram bem dos quads. A todos que passarem pela região, recomendo que procurem o Luciano e o Chapolin lá na Base55 para essa e outras atividades oferecidas pela operadora.
I was in the city of Socorro - SP to do a job and much liked the place, as tourism is well structured, attractions and activities there.
I did a tour of quadricycle with the staff of Base55 (http://www.base55.com.br/), pass by beautiful places, top of hills, through eucalyptus, plantations of coffee... the toy is more than approved! We went through our land and demanded that the quads. To all who pass through the region, I recommend seeking the Luciano and Chapolin there in Base55 for this and other activities offered by the carrier.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

jubarte, a gigante do Atlântico

Quem visita o litoral sul da Bahia, nos arredores do arquipélago de Abrolhos e se aventura em um barco mar adentro pode ter uma experiência única: ver de perto uma baleia jubarte, a gigante que nada nas águas quentes da região em busca do ambiente ideal para reprodução.

Vale lembrar que as baleias são mamíferos aquáticos e pertencem ao grupo dos cetáceos, que é dividido em dois subgrupos, os odontocetos, que têm dentes e os misticetos, que possuem barbatanas (formada por queratina, mesmo material que compõe a unha humana).

Na parte superior da cabeça, as jubartes possuem dois orifícios respiratórios que facilitam a respiração quando estão na superfície. É por eles que dão shows ao soltar poderosos borrifos. Para se alimentar, abocanham grandes quantidades de água com peixes e principalmente, krill (espécie de camarão). Toda água abocanhada acaba sendo expelida por ação da língua, levando o alimento a ficar preso nas barbatanas, que fazem às vezes de filtro. As barbatanas de um animal adulto medem entre 1 e 1 ½ m.

GRANDES MAMIFEROS. As jubartes (Megaptera novaeangliae) recebem esse nome por conta do tamanho das nadadeiras peitorais, que podem chegar a 1/3 do seu tamanho, o que representa uma importante característica da espécie, assim como as fêmeas serem maiores que os machos (fêm 40 toneladas – 16 m / mach 30 toneladas – 13 m). Após a gestação de 1 ano, o filhote nasce comcerca de 4 a 5 m, pesando 1 tonelada.

Outra curiosidade dessas gigantes é o fôlego. Elas permanecem normalmente, cerca de 13 minutos submersas. Ao fazerem mergulhos mais profundos, elas expõem a face inferior da cauda, o que facilita a vida dos pesquisadores, pois elas são marcadas com manchas, servindo para a identificação do indivíduo. Do mesmo jeito que não há 2 seres humanos com impressões digitais iguais, não há 2 baleias com as mesmas manchas. Graças a isso, elas são fotoidentificadas para realização de trabalhos a respeito de seu comportamento, relações sociais, rotas migratórias, freqüência com que retornam ao Banco dos Abrolhos e taxa de natalidade das fêmeas. No Arquipélago de Abrolhos as baleias apresentam um comportamento em particular, elas permanecem por longos períodos paradas com suas caudas expostas fora da superfície, com a cabeça voltada para o fundo. Tal comportamento é praticamente exclusivo da população que frequenta o litoral baiano, pois não ocorre com tanta frequência em nenhum outro lugar do mundo. Aos que se aventuram ao mar no Arquipélago de Abrolhos têm a oportunidade de ver de perto outros comportamentos das jubartes. As batidas de cauda na superfície da água, ouvidas a longa distância, representam tentativas de chamar a atenção de outras baleias, demonstrar força e irritação com a aproximação de barcos... As batidas com as nadadeiras peitorais também estão associadas a essas ocasiões e à receptividade do parceiro para o acasalamento.
ACROBACIA E MÚSICA. Os saltos das jubartes nas águas do litoral baiano representam um grande show, embora os cientistas ainda não tenham identificado com precisão as razões desse comportamento. As hipóteses passam por tentativas de comunicação, demonstração de força, eliminação de ectoparasitas ou, apenas, o salto pelo salto. Algumas baleias saltam junto dos seus filhotes. Em um dos cruzeiros de pesquisa, observou-se um grupo saltando 16 vezes consecutivas, havendo registro de maiores quantidades.
Outro aspecto emocionante da aproximação com a jubarte é o seu canto, muito complexo, que pode ser comparado ao dos seres humanos e durar até 30 minutos. As vozes desses mamíferos podem ser ouvidas de dentro das embarcações, sendo o som amplificado ao entrar na água.